Bolsa fecha em alta e encosta nos 118 mil pontos pela 1ª vez desde janeiro – últimas notícias – vagasemprego
Site Overlay

Bolsa fecha em alta e encosta nos 118 mil pontos pela 1ª vez desde janeiro

Consolidando o seu sinal positivo em 2020, o Ibovespa fechou em alta 1,47% aos 117.857 pontos nesta quarta-feira (16).

Durante o dia, o índice da B3 chegou a superar os 118 mil pontos pela primeira vez desde janeiro, encostando na sua máxima histórica. O recorde para o ano de 2020 ainda é de 119.527 pontos.

O Ibovespa teve como principais suportes as blue chips, sendo impulsionado por Ambev, Bancos, Petrobras e Vale. O índice valorizou acompanhando o otimismo no cenário externo com o Federal Reserve (Fed) comprometido a injetar recursos no mercado financeiro contra a recessão e no Brasil, com a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2021 na Câmara.

Nos Estados Unidos, as bolsas americanas fecharam mistas. O S&P 500 subiu 0,20% e Nasdaq avançou 0,50%. Enquanto o índice Dow Jones recuou 0,15%.

Investidores ficaram de olho no desfecho da última reunião de política monetária do ano do Fed que manteve as taxas de juros nos Estados Unidos próximas a zero, no intervalo entre 0% e 0,25%.

Na Europa, as bolsas fecharam majoritariamente em alta com otimismo por um possível acordo comercial pós-Brexit entre o Reino Unido e a União Europeia. A maior alta foi da bolsa de Frankfurt que subiu 1,52%, a 13.565,98 pontos.

/* In-article video. You must place this code in your article section. It is BTF position */

No cenário doméstico, o Ibovespa se beneficiou da aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2021 e da fala do ministro de Economia, Paulo Guedes, que corroborou que o auxílio emergencial não será prorrogado.

Com essa sinalização de que o teto de gastos será respeitado, o índice segurou os ganhos, apesar dos ruídos políticos. Foi um dia de troca de farpas entre Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados contra Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

A possível estabilidade fiscal superou também o pessimismo com os dados do varejo brasileiro, as vendas recuaram 1,1% em novembro frente ao mesmo período do ano anterior, descontada a inflação, mostra o Índice Cielo de Varejo Ampliado (ICVA).

LEIA MAIS:

O dólar valorizou contra o real nesta quarta-feira, a moeda americana ganhou tração no período da tarde impulsionada pelo exterior, após o Federal Reserve (Fed) manter os juros perto do zero.

O dólar comercial fechou em alta de 0,34%, cotado a R$ 5,1062. Na máxima do dia, a moeda americana chegou a R$ 5,1428. No mês de dezembro o dólar ainda recua 4,49%.

Destaques da Bolsa

O destaque positivo do dia foi da Braskem (BRKM5) que disparou 5,61%. Segundo Murilo Breder, analista da Easynvest, a companhia valorizou com a notícia de que a Odebrecht avalia que, entre fevereiro e março de 2021, deve iniciar as conversas com potenciais compradores de sua fatia de 38,3% na petroquímica. “A saída da construtora pode melhorar a governança corporativa da Braskem”, afirma.

Subiu também a Minerva (BEEF3) com alta de 4,26%. A companhia anunciou uma nova plataforma de comércio eletrônico para clientes e parceiros com o seu portfólio completo de produtos e entregas para toda a área de atendimento.

Em breve o consumidor final poderá fazer as compras pelo portal meuminerva.com.br

Ainda entre os destaques positivos, a Natura (NTCO3) valorizou 3,88%.

No lado oposto do Ibovespa, a maior queda foi da Eletrobras (ELET3;ELET6) que recuou 3,36% e 2,83%, respectivamente.

Após ter valorizado nas últimas semanas com a notícia de que a privatização da empresa ocorreria ainda no primeiro semestre de 2021, a companhia voltou a cair com anúncio de Rodrigo Maia de que a privatização está sob suspeita porque as mudanças propostas do governo podem beneficiar os atuais acionistas.

“Agora a Associação dos Empregados da Eletrobras (Aeel) pede a instalação de uma CPMI e uma explicação ou renúncia do atual presidente da companhia, Wilson Ferreira Júnior”, explica Breder.

Caíram também a Sabesp (SBSP3) e Yduqs (YDUQ3) com baixa de 2,47% e 2,17%, respectivamente.

Bolsas americanas

Wall Street subiu nesta quarta-feira, com o Nasdaq fechando em nível recorde, enquanto investidores aguardavam um potencial pacote fiscal de estímulo econômico e depois que o Federal Reserve repetiu promessa de manter sua taxa básica de juros perto de zero.

As ações negociaram em território positivo depois que o Fed prometeu continuar injetando dinheiro nos mercados financeiros para combater a recessão, mesmo com as perspectivas dos formuladores de política monetária para o próximo ano melhorando após a distribuição inicial de uma vacina contra o coronavírus.

Dow Jones recuou 0,15%, aos 30.154,93 pontos, o S&P 500 ganhou 0,20%, aos 3.701,26 pontos, e o Nasdaq valorizou-se 0,50%, aos 12.658,19 pontos.

 Bolsas na Europa

As Bolsas da Europa fecharam o pregão desta quarta-feira (16), majoritariamente em alta, apesar de terem desacelerado os ganhos no final da manhã, acompanhando a volatilidade do mercado acionário em Nova York. O otimismo com as negociações para um acordo comercial pós-Brexit entre o Reino Unido e a União Europeia sustentaram certo apetite por risco, assim como indicadores econômicos que superaram a expectativa de analistas.

O índice pan-europeu Stoxx 600 registrou ganho de 0,82%, a 396,08 pontos.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu de 45,3 em novembro para 49,8 em dezembro, ante previsão de avanço a 45,7. A divulgação do dado impulsionou o apetite por risco, mas a Capital Economics alerta que a economia ainda está deprimida e que restrições impostas por alguns países para tentar conter a disseminação do coronavírus ainda devem levar a uma retração da atividade econômica do bloco no quarto trimestre do ano.

Antes do PMI, os investidores já estavam otimistas com o desenrolar das negociações entre Londres e Bruxelas por um acordo comercial pós-Brexit.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, relataram “progressos” nas tratativas, enquanto o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse ter “todas as esperanças” de que um entendimento possa ser alcançado, apesar de ter mencionado também o impasse sobre as águas de pesca.

A expectativa por mais estímulos fiscais nos Estados Unidos, de um lado, também impulsionou o apetite por risco. O avanço da covid-19 e o registro de novo recorde de mortes diárias na Alemanha, contudo, impuseram cautela aos negócios.

Em Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 0,88%, a 6.570,91 pontos.

Já o índice DAX, de Frankfurt, encerrou o pregão com ganho de 1,52%, a 13.565,98 pontos, puxado por ações como a da Volkswagen (+2,90%) e da Continental (+2,85%).

Em Paris, o CAC 40 subiu 0,31, a 5.547,68 pontos, com alta de 1,58% nas ações da Capgemini e de 1,25% nas da ArcelorMittal.

Na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 terminou o dia com ganho de 0,42%, a 4.796,08 pontos.

Em Milão, o FTSE MIB avançou 0,23%, a 21.986,52 pontos.

O Ibex 35, de Madri, foi o único a fechar em queda, de 0,16%, a 8.139,50 pontos.

*Com Reuters e Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *