Site Overlay

Dados de outubro sinalizam 4º trimestre de crescimento elevado, diz governo

Os indicadores de atividade econômica do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) para outubro indicam um crescimento elevado para o quarto trimestre do ano, avaliou a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia nesta sexta-feira (11), reiterando expectativa de que o país terá um primeiro semestre de 2021 favorável, podendo prescindir do auxílio emergencial do governo.

Em nota, a SPE destacou que o desempenho positivo da indústria, comércio e serviços em outubro se deu a despeito da redução do valor do auxílio emergencial no período, o que indicaria que a economia está voltando à normalidade.

“Os indicadores coincidentes sugerem manutenção da trajetória de crescimento para o mês de novembro, reforçando as projeções apresentadas anteriormente pela SPE”, disse a secretaria, citando dados da produção de veículos, vendas no comércio em São Paulo e fluxo de rodovias pedagiadas.

O IBGE informou nesta manhã que o setor de serviços, o mais afetado pelas medidas de distanciamento social adotadas no enfrentamento à pandemia da Covid-19, teve alta de 1,7% em outubro sobre setembro – taxa mais elevada para o mês desde pelo menos 2011, início da série e acima do esperado por analistas.

A indústria cresceu 1,1% em outubro sobre o mês anterior e já está acima do patamar de fevereiro, antes do agravamento da pandemia, enquanto o comércio teve alta de 0,9%, contrariando expectativas de recuo.

Para a SPE, o carregamento estatístico aponta um crescimento médio de 3,5% para esses três indicadores do IBGE no quarto trimestre.

/* Standard banner (header banner) Code expands to max width of parent element. 970x250,728x90.468x60,300x100 and other sizes. */

“Estes fortes resultados da atividade econômica para outubro, mesmo com a redução do valor do auxílio emergencial, indicam que a economia está voltando à normalidade, sinalizando que o crescimento continuará avançando no primeiro semestre de 2021 sem a necessidade de auxílios governamentais”, disse a SPE.

O auxílio emergencial foi aprovado pelo Congresso em meio à pandemia com valor inicial de R$ 600 e posteriormente foi prorrogado pelo governo até dezembro, com o valor de R$ 300.

O governo tem reforçado que a ajuda não poderá ser prorrogada indefinidamente, mas o ministro da Economia, Paulo Guedes, já disse que, no caso de uma segunda onda da pandemia, terá que responder com mais auxílio, ainda que este não seja o “plano A” da equipe econômica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *