Site Overlay

Empresas chinesas aproveitam liquidez com pandemia e levantam US$ 148 bilhões

As empresas chinesas levantaram um recorde de US$ 148 bilhões por meio dos mercados de ações globais nos primeiros quatro meses de 2021, à medida que aproveitaram a ampla liquidez disponível a investidores em razão de medidas relacionadas à pandemia do coronavírus.

Isso foi mais do que o dobro da quantia que eles obtiveram nos mercados de ações no mesmo período do ano passado, e foi responsável por um quinto de todas as negociações de aumento de capital neste ano, de acordo com dados da Refinitiv.

Desse total, as empresas chinesas levantaram um recorde de US$ 31,9 bilhões por meio de ofertas públicas iniciais (IPOs), o dobro do período do ano anterior.

Os dados indicam que os investidores foram atraídos pela recuperação econômica da China e pelo enorme mercado consumidor, apesar das preocupações com a ação do governo contra alguns setores.

As empresas se beneficiaram à medida que os governos em todo o mundo intensificaram as medidas de estímulo para combater o impacto econômico da pandemia, e os consumidores reduziram os gastos extras.

“É um mercado muito forte e os valuations são sólidos”, disse Matt Emsley, sócio-gerente da firma de advocacia Herbert Smith Freehills na China.

“Estamos vendo uma série de empresas procurando listar em cronogramas bastante apertados, e estamos vendo empresas que pretendem lançar negócios no segundo semestre.”

A China ficou atrás apenas dos Estados Unidos, onde US$ 312 bilhões foram levantados principalmente de empresas de aquisição de propósito específico (SPACs).

Dado o forte início do ano, o volume de negócios chineses pode abrandar no final de 2021, disseram executivos de bancos de investimento.

“A tendência pode continuar? Há uma lista de mais de 100 unicórnios de tecnologia fora da China, então isso definitivamente pode continuar por mais alguns anos, mas a grande questão será se esses unicórnios de tecnologia optam por mercados públicos e IPOs ou se optam por levantar mais dinheiro de uma forma privada”, disse Magnus Andersson, codiretor dos mercados de capitais de ações da Ásia-Pacífico no Morgan Stanley em Hong Kong.

“O júri ainda não se decidiu e o desempenho dos mercados nos próximos três a seis meses será um fator determinante para definir se veremos a captação de recursos privados voltando ou mais IPOs.”