Site Overlay

Gasolina e diesel recuam nos postos após cortes da Petrobras na refinaria

Os preços da gasolina e do diesel nos postos do Brasil encerraram a semana em queda, mostraram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta sexta-feira (26), com os valores acompanhando em parte cortes das cotações pela Petrobras em suas refinarias.

O movimento encerrou uma longa tendência de aumento nos custos para os consumidores nas bombas – o diesel não via redução há oito semanas e a gasolina avançou continuamente por 13 semanas antes de ceder, segundo contagem da Reuters com dados da reguladora.

O alívio seguiu-se a dois cortes consecutivos dos valores cobrados nas refinarias pela Petrobras. A estatal anunciou em 19 de janeiro uma redução de 5% na gasolina, enquanto em 24 de março foram informados diminuições de cerca de 4% tanto na gasolina quanto no diesel.

Nos postos, o custo médio da gasolina para o cliente final caiu 0,73% frente à semana anterior, a R$ 5,551 reais, de acordo com os números da ANP.

O óleo diesel, combustível mais utilizado do Brasil, encerrou a semana com recuo menor, de 0,12%, a R$ 4,269 por litro em média.

Nas últimas sete semanas, o diesel havia registrado seis aumentos e uma semana de estabilidade, mesmo após um corte de tributos federais pelo governo sobre o produto, que valerá por dois meses.

/* Standard banner (header banner) Code expands to max width of parent element. 970x250,728x90.468x60,300x100 and other sizes. */

O etanol hidratado, concorrente da gasolina nas bombas, também recuou e fechou a semana 2,8% mais barato, a R$ 4,067 por litro, segundo os dados da ANP.

Os preços nos postos, no entanto, não necessariamente acompanham os reajustes da Petrobras, que domina o mercado de refino no Brasil. Fatores como impostos, mistura de biocombustíveis e margens de distribuição também influenciam nos valores.