Site Overlay

Ibovespa fecha quase estável, mas tem alta na semana; dólar sobe

O Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, fechou quase estável esta sexta-feira (21), com Vale entre as maiores pressões de baixa, embora a alta de Petrobras e ganhos em Wall Street atenuassem as perdas. Na semana, no entanto, o índice acumulou alta. Já o dólar terminou com avanço tanto no dia quanto na semana.

O Ibovespa fechou em queda de 0,09%, aos 122.592 pontos. Na semana, a alta foi de 0,58%. O dólar subiu 1,44%, a R$ 5,3527. Na semana, houve avanço de 1,56%. Veja outras cotações.

A sexta-feira mais calma vem ao fim de uma semana dominada pelos temores sobre o avanço da inflação e uma possível redução de estímulos nos Estados Unidos, depois que a ata da última reunião do Federal Reserve mostrou algumas autoridades se inclinando ao debate sobre mudanças na política monetária.

No cenário doméstico, os mercados seguirão atentos à CPI da Covid no Senado Nacional, ao ritmo de recuperação do comércio e da economia e ao andamento da agenda de reformas e privatizações do governo.

Destaques da bolsa

PETROBRAS subiu 0,99% na ação ordinária (PETR3) e 0,08% na preferencial (PETR4), com o petróleo Brent valorizando-se. A companhia também divulgou que decisão recente do STF sobre ICMS; PIS-Cofins gerará um impacto positivo de R$ 4,4 bilhões no balanço do segundo trimestre da companhia.

VALE (VALE3) caiu 1,54%, em meio a um novo recuo dos preços do minério de ferro na China, que tiveram a maior queda semanal desde março.

BRF (BRFS3) disparou 16,28%, mais uma vez entre os destaques positivos do Ibovespa, caminhando para o melhor desempenho semanal em cerca de um ano.

CYRELA (CYRE3) despencou 5,, com o índice que reúne construtoras e incorporadoras entre os piores desempenhos setoriais na bolsa paulista nesta sexta-feira. MRV (MRVE3) também caía.

Bolsas mundiais

Wall Street encerrou de forma mista nesta sexta-feira, ao fim de uma semana de negociações voláteis, com o índice Dow Jones o único em alta na sessão, já que a inflação tem preocupado ações de crescimento.

  • O índice Dow Jones subiu 0,36%, a 34.208 pontos
  • S&P 500 perdeu 0,078382%, a 4.156 pontos
  • O índice de tecnologia Nasdaq recuou 0,48%, a 13.471 pontos

As ações europeias fecharam em alta nesta sexta-feira, uma vez que a fabricante suíça de bens de luxo Richemont saltou após seus resultados e a aceleração do crescimento da atividade de negócios na zona do euro manteve investidores cautelosamente otimistas em face de crescentes preocupações com a inflação.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,02%, a 7.018,05 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,44%, a 15.437,51 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,68%, a 6.386,41 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,10%, a 24.975,00 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,87%, a 9.204,00 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,16%, a 5.271,57 pontos.

Os principais índices de ações da China terminaram em queda nesta sexta-feira, pressionados pelos setores financeiro e de consumo, embora o setor de commodities tenha se recuperado da queda da sessão anterior, à medida que os investidores processavam a promessa de Pequim de manter os preços das commodities sob controle.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,78%, a 28.317 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,03%, a 28.458 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,58%, a 3.486 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,01%, a 5.134 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,19%, a 3.156 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 1,62%, a 16.302 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,26%, a 3.117 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,15%, a 7.030 pontos.

(*Com informações da Reuters)