Site Overlay

Ibovespa na semana: Totvs se recupera e Cogna tem futuro duvidoso

Sétima semana consecutiva de alta para o Ibovespa, o índice valorizou 2,5% e engatou a maior sequência de ganhos semanais desde 2017.

No mês de dezembro sobe 8,73%, o Ibovespa já conseguiu zerar as perdas da pandemia e agora está cada vez mais perto de renovar seu recorde histórico para 2020, de 119.593 pontos.

A semana foi marcada pelo avanço das vacinação contra a covid-19 no mundo além da expectativa dos investidores sobre a aprovação do pacote de estímulos americanos de US$ 900 bilhões. 

Alguns ruídos nas relações entre Estados Unidos e China impediram que o índice valorizasse mais, especialmente nesta sexta-feira (18). No cenário doméstico voltam à tona os problemas sobre o risco fiscal, com embates entre o Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Enquanto Guedes tenta limpar a poeira se mostrando comprometido com o teto de gastos.

Segundo Gustavo Akamine, analista da Constância Investimentos, no radar do mercado para as últimas semanas de 2020 estão os movimentos sobre a eleição de líderes na Câmara e o Senado. “O Brasil depende disso para ter um avanço nas reformas e dar um norte para a questão fiscal”, afirma.

Os investidores também devem monitorar os avanços de casos da covid-19 com as aglomerações de final de ano. “A dúvida é o efeito disso em janeiro e se teremos novos lockdowns”, comenta.

No cenário macroeconômico, a alta da inflação e os juros também devem ser observados com seus possíveis efeitos na renda variável para 2021.

Maiores altas

A maior alta da semana foi da Totvs (TOTS3), a companhia saltou 11,41%. Nas últimas semanas, a empresa foi ficando para atrás no movimento de rotação de mercado, situação que mudou nesta semana acompanhando a valorização das Big techs em Wall Street. “Não só as companhias de tecnologia listadas em bolsa se beneficiaram, o setor como um todo teve melhorias mas a que melhor absorveu isso foi a TOTS3”, explica Akamine.

Na segunda posição está o Banco BTG (BPAC11) com alta de 10.38%. Segundo o analista, alguns relatórios de mercado apontaram que o BTG está descontado em relação aos outros bancos, se considerada a sua forte atuação no mercado de capitais. Foi esta visão que contribuiu com o movimento de valorização.

A terceira maior alta da semana foi a Braskem (BRKM5) que subiu 10.37%. A companhia está superando as dúvidas que os investidores têm em relação a assuntos de governança, com a notícia de que a Odebretch deve retomar a venda da sua participação na petroquímica no 1º trimestre de 2021.

As commodities também tiveram um ótimo desempenho, acompanhando o apetite chinês e a retomada econômica.

A Suzano (SUZB3) avançou 9.74% com a alta nos preços de celulose. A companhia vai aumentar o preço da fibra curta na China de US$ 500 para US$ 530 a tonelada.

Enquanto a Gerdau Metalúrgica (GOAU4) teve alta de 8.48%. Com a forte valorização nos preços do minério de ferro, as siderúrgicas também são beneficiadas.

Quando a China aumenta a sua demanda pela commoditie, as siderúrgicas chinesas elevam também o preço do aço. Em consequência, no Brasil as siderúrgicas reajustam o preço local para equiparar com o valor internacional, o que favorece as companhias.

Veja as cinco maiores altas da semana:

Ações AltaTotvs (TOTS3)11.41%Banco BTG (BPAC11)10.38%Braskem (BRKM5)10.37%Suzano (SUZB3)9.74%Gerdau Metalúrgica (GOAU4)8.48%

Maiores quedas

No lado oposto do índice, a Cogna (COGN3) teve o pior desempenho da semana recuando 9.81%. Akamine explica que nesta semana ocorreu o Cogna Day, que apresentou as perspectivas e números da companhia para 2021, contudo os investidores não ficaram confiantes. “A Cogna é uma companhia que tem a receita exposta à renda do brasileiro, com a incerteza sobre a prorrogação do auxílio emergencial a empresa é impactada negativamente”.

No acumulado de 2020, a Cogna é a segunda pior ação do Ibovespa, que ainda sofre com as perdas da receita do FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior). E passa por um processo de migração para as plataformas digitais que pode comprometer sua geração de caia nos próximos anos.

Após várias semanas de valorização com a rotação de setores, as aéreas Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) realizaram ganhos recuando 7.02% e 6.80%, respectivamente.

E a Sabesp (SBSP3) desvalorizou 6.89% nesta semana, perdendo a preferência do investidor frente a outros ativos com maior liquidez e menos defensivos. “A Sabesp não apresentou novos sinais de privatização o que acabou afetando o papel”, explica.

Veja as cinco maiores quedas da semana

AçõesQuedaCogna (COGN3)-9.81%Gol (GOLL4)-7.02%Sabesp (SBSP3) -6.89%Azul (AZUL4)-6.80%Cyrela (CYRE3)-6.23%