Site Overlay

Inflação na zona do euro fica acima da meta do BCE em maio

A inflação na zona do euro foi acima da meta do Banco Central Europeu em maio, acentuando o desafio de comunicação para autoridades que devem conviver bem com preços mais altos por enquanto mas podem enfrentar a reação de consumidores.

A inflação anual nos 19 países que usam o euro acelerou a 2% em maio de 1,6% em abril, devido aos preços mais elevados dos custos de energia desde o final de 2018 e acima do objetivo do BCE de “abaixo mas perto de 2%”.

No entanto, maio não deve representar o pico. A inflação pode ficar mais perto de 2,5% no final do ano conforme a recuperação da pandemia e os aumentos recentes nos preços das commodities somam-se à pressão de preços.

Passar por esse período será um exercício de comunicação para o BCE. O banco já deixou claro que esse não é o tipo de inflação que busca após quase uma década abaixo da meta, portanto a política monetária permanecerá frouxa por anos à frente.

O núcleo da inflação, ou os preços excluindo os custos voláteis de alimentos de energia, acelerou apenas a 0,9% de 0,8%.

Veja também:

BDRs pagam dividendos? Como é a tributação? 5 ações com rendimentos de até 9,8%. • Raízen afirma que pretende protocolar pedido de IPO junto à B3 nos próximos dias. • PIB do Brasil cresce 1,2% no primeiro trimestre de 2021. • Como garantir adesão a vacinas? A resposta da economia comportamental. • Nova ‘janela’ para IPOs deve movimentar até R$ 30 bilhões na B3. • Empresa da bolsa foi à falência? Saiba o que acontece com seus investimentos. • Auxílio emergencial: saque da 2ª parcela começa nesta segunda; veja as datas.