Site Overlay

Petrobras sobe 4% em meio a novo plano estratégico; CVC, Gol e techs avançam

O Ibovespa segue em alta nesta quinta-feira com as ações das companhias atreladas ao turismo e tecnologia em alta.

Por volta das 14h30, os papéis de Banco Pan e Inter estavam entre as principais valorizações do indicador, seguidos de Gol e CVC.

Na outra ponta, a Hapvida tinha queda após o Cade decidir impedir a compra do plano de saúde Plamed pela empresa. Confira os destaques registrados por volta das 14h30:

Tecnologia e turismo

As ações das companhias de turismo e tecnologia estavam entre as principais altas do pregão. O Banco Pan (BPAN4) liderava as valorizações do Ibovespa ao subir 10,65%, para R$ 12,57, enquanto a CVC (CVCB3) tinha alta de 7,37%, negociada a R$ 16,89. Já a Gol (GOLL4) tinha ganhos de 6,86%, para R$ 16,86.

Petrobras

A Petrobras (PETR4) avançava 3,95% para R$ 29,50. A alta tem como pano de fundo divulgação de Plano Estratégico para o período entre 2022 e 2026. A companhia espera pagar dividendos entre US$ 60 e 70 bilhões no período. Além disso, os investimentos previstos para o período ficou em US$ 68 bilhões, o que representa um aumento de 24% em relação aos US$ 55 bilhões no plano anterior, que ia de 2021 a 2025.

Hapvida

A empresa de planos de saúde Hapvida (HAPV3) caía 1,20%, para R$ 12,37. A companhia anunciou nesta quinta acordo para a compra do Hospital Octaviano Neves, em Belo Horizonte, por cerca de US$ 150 milhões.

Do total, US$ 134 milhões considerando o valor de compra de 100% da companhia e mais US$ 16 milhões de dívidas.

Ao mesmo tempo, o Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu impedir a compra do plano de saúde Plamed, com carteira concentrada em Aracajú, pela empresa.

Veja também

  • O que Pat Dorsey e a Supreme podem ensinar sobre moats
  • Com 562% de alta, ação fora do Ibovespa bate a maior alta do índice
  • Aos 29, filho de Semenzato conta como deixou o tênis e assumiu holding do pai
  • Cosan e Rumo anunciam mudanças de executivos de RI e estratégia
  • Petróleo e Petrobras salvam Ibovespa de cair abaixo de 101 mil pontos; entenda